sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Febre amarela: Superintendência Regional de Saúde atua preventivamente em Raul Soares

imageNessa quinta-feira (12), "força-tarefa" da Vigilância Epidemiológica da Superintendência Regional de Saúde/SRS-Ponte Nova preparava viagem para Raul Soares. Na agenda, ações de prevenção contra possíveis casos de febre Amarela, tendo em vista a proximidade de região rural do município com área do Vale do Aço, onde se detectou a doença.

 

A informação é de Antônio Augusto de Araújo Filho, dirigente da SRS, preocupado em não “criar alarme” na população raul-soarense, mas ponderando sobre a necessidade de assessorar a Saúde Pública daquele Município. Afinal, como relatou, nessa quarta-feira, a Secretaria de Saúde/MG, Caratinga tem seis casos notificados (sendo dois “prováveis”), e a doença já foi detectada em Ipanema.

A Secretaria de Estado de Saúde/SES divulgou que até o dia 11 havia, no Leste de Minas, 48 casos suspeitos de febre Amarela, sendo que, deste total, 16 eram considerados prováveis. Eram 14 os óbitos suspeitos, sendo 8 com probabilidade da doença.

Isso significa que, apesar do exame laboratorial ter dado como reagente para febre Amarela, a confirmação se daria ainda pela investigação epidemiológica, históricos de vacinação e deslocamentos desses pacientes.

Não por acaso, a Secretaria Municipal de Saúde/Semsa divulgou nota, nessa quinta-feira (12/1), informando que “não há motivo para pânico por parte da população de Ponte Nova”, já que o risco atualmente se encontra na área da SRS que tem sede em Coronel Fabriciano.

“Não há, pois, campanha de imunização”, acrescenta a nota, mantendo-se “esquema de rotina no calendário de vacinação, que consiste numa dose aos nove meses de idade e um reforço aos 4 anos”. Não obedecendo-se a este esquema, o intervalo mínimo entre a 1ª dose e o reforço é de 30 dias.

“A vacina está indicada para prevenir esta doença em residentes ou viajantes que se deslocam para áreas de risco para a mesma”, relata a nota.

A febre Amarela é doença infecciosa febril aguda, causada por arbovírus (vírus transmitido por artrópodes) e, caso não seja tratada em tempo hábil, pode levar a óbito numa semana.

Segundo o Governo/MG, no Brasil, os casos são classificados pela origem:

- Silvestre (mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus, com os macacos sendo os principais hospedeiros).

- Urbana (para o homem, o transmissor é o mosquito Aedes aegypti). Esta, contudo, não é registrada no Brasil desde 1942.


Com informações da Folha de Ponte Nova

2 comentários:

  1. donatilha silva martins13 de janeiro de 2017 10:00

    gostaria de saber se vao continuar vacinando aqui em raul soares e onde

    ResponderExcluir
  2. SIM.NOS PSFS de 9:00 às 16:00 hrs

    ResponderExcluir

Todos os comentários são moderados e não serão aceitas mensagens consideradas inadequadas.